FAPESC distribui R$ 480 mil em prêmios de inovação

Treze pessoas receberam troféus, certificados e ordens bancárias referentes aos primeiros lugares no Prêmio Stemmer Inovação Catarinense, oferecido pelo governo estadual por meio da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina). A solenidade de entrega reuniu, na FIESC, os contemplados, o governador Raimundo Colombo, o titular do MCTIC (Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações) e o presidente da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), Marcos Cintra, entre outras autoridades.

O prêmio contemplou empresas, instituições e protagonistas da inovação em cinco categorias, nas quais os primeiros colocados receberam R$ 60 mil, os segundos lugares receberam R$ 30 mil, e os terceiros R$ 15 mil, totalizando R$ 480 mil. Eles também receberam troféus e certificados. A lista completa dos vencedores do prêmio Stemmer Inovação Catarinense pode ser acessada neste link.

 

O vencedor da categoria Protagonista da Inovação foi Roberto Zagonel, idealizador da Torneira Prima Touch, que possui sistema de controle de temperatura gradual por toque e pode ser facilmente manuseada por pessoas com limitações físicas. O sistema facilita a montagem da torneira e elimina desgastes mecânicos. Na segunda colocação ficou Eduardo Jara, e em terceiro lugar Alvaro Michelotti.

Na categoria Empresa Inovadora de Micro e Pequeno Porte, a primeira colocação ficou com a empresa INTRADEBOOK, de Florianópolis, que criou uma plataforma global de negócios internacionais para Pequenas Empresas, homônima à empresa.  Ela conecta clientes e fornecedores ao redor do mundo, oferece módulo de negociação, operação e lista de prestadoras de serviços de comércio exterior e logística. Presta serviços em três idiomas principais (Inglês, Português e Espanhol), com possibilidade de ampliação para Swahili, Francês e Russo. A empresa foi selecionada anteriormente pelo ITC International Trade Centre (agência da ONU e OMC) para ter a plataforma disponibilizada aos 164 países apoiados pelo ITC no mundo. As concorrentes nesta categoria foram a BYOND (EFICID-GYTH), que ficou na 2ª colocação, e a ATAR, que ficou em na 3ª posição.

Denise Felix representou a Intradebook, de Florianópolis, primeira colocada na categoria Empresa Inovadora de Micro e Pequeno Porte (Crédito: Paulo Cordeiro)

A categoria Empresa Inovadora de Médio e Grande Porte foi vencida pela maior fabricante de fixadores da América Latina, a Ciser Parafusos e Porcas, de Joinville. Sua escolha se deu por causa do NanoTec® , um selante que apresenta alta versatilidade  que pode ser aplicado em superfícies metálicas, aumentando em até 20 vezes a resistência à corrosão sem interferência no aumento de espessura da camada, que em algumas aplicações poderia gerar problemas de montabilidade do produto final. As outras finalistas da categoria foram a Bry Tecnologia e a EMBRACO.

Na categoria Instituição de CTI, o vencedor foi o Instituto Stela, que concorreu com a Plataforma Intelligentia, que representa uma evolução do conceito de observatório de conhecimento. A inovação auxilia a resolução de problemas nas organizações, unindo componentes internos e externos para conectar e localizar pessoas, conteúdos e processos, permitindo também compreender as oportunidades e riscos. A segunda colocação ficou com o Labsolda, da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), e na terceira colocação ficou com a UNISUL (Universidade do Sul de Santa Catarina).

A última categoria foi Instituição Inovadora, que teve apenas uma finalista: a EMBRAPA Suínos e Aves, de Concórdia. A inovação-referência foi o abatedouro móvel, uma unidade itinerante com equipamentos para abate de animais domésticos em três modelos: suínos e ruminantes; aves; e pescado. Seu desenvolvimento está adequado às particularidades produtivas e a legislação sanitária e ambiental do Brasil.

Marcos Marchezan representou o Instituto Stela, que venceu na categoria Instituição de CTI (Crédito: Jéssica Trombini/FAPESC)

 

Prestígio para Florianópolis

A capital catarinense foi escolhida para sediar o Departamento Regional Sul da FINEP, a ser instalado em Florianópolis para atender aos três estados da região. O escritório funcionará no ParTec Alfa, no mesmo andar que a FAPESC. Seu presidente, Sergio Gargioni, falou sobre isso no evento do dia 6, além de proferir a palestra “A inovação e o desenvolvimento regional”.  

Ele também participa do segundo dia do encontro FINEP, nesta terça-feira (7), mediando a mesa redonda “Experiências de apoio FINEP por representantes de empresas e instituições apoiadas”. François Gilberto Barraultum dos sócios da WaveTech soluções tecnológicas, integra a mesa para contar que a empresa teve seu projeto de desenvolvimento de um aparelho de amplificação sonora individual apoiado no programa TECNOVA. Esse pequeno equipamento permite embarcar diversos dispositivos eletrônicos sensíveis e sofisticados, integrados entre si, e que precisam ser conectados a um software, também sofisticado, que possibilita ajustar mais de duzentos parâmetros, de forma que o aparelho se adapte às particularidades e necessidades de cada paciente.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC

Assista à transmissão ao vivo da entrega do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense 2017

Amanhã, 6, acontece a entrega do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense 2017, a partir das 14h30, durante o Encontro FINEP para Inovação. A cerimônia acontecerá no Centro de Eventos FIESC e terá as presenças do ministro Gilberto Kassab (MCTIC) e do presidente da FINEP, Marcos Cintra. O Encontro FINEP marcará a instalação, em Florianópolis, do Departamento Regional Sul da Financiadora de Estudos e Projetos para atendimento aos três estados do Sul do Brasil.

 

ESAG Kids fomenta criatividade empreendedora em crianças

Ensinar noções de empreendedorismo e inovação para crianças de 8 a 12 anos de maneira lúdica é o objetivo do projeto ESAG Kids, idealizado pelo Prof. Msc. Eduardo Jara, do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas da Universidade do Estado de Santa Catarina. Ele ficou entre os 3 primeiros colocados no Prêmio Stemmer Inovação Catarinense, oferecido pela FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina).

“Com mais de 3 mil crianças atendidas, estamos registrando números muito positivos. Para uma amostra de mais de 1000 crianças que já passaram pela oficina dentro da ESAG, 95% tiveram uma primeira aula sobre empreendedorismo e 98% tiveram o primeiro contato com a Universidade através do Programa EsagKids”, anuncia o Prof. Jara. O programa também trabalha conceitos como inovação, empreendedorismo social, verde e de negócios, economia criativa e planejamento, estimulando a criatividade empreendedora.

A proposta metodológica de ensino de empreendedorismo e inovação inclui também a produção do Manual do Empreendedor Mirim, traduzido de forma resumida como Entrepreneur Guide for Kids, e junto com a metodologia, levado para a Bulgária e para a Itália por bolsistas voluntários do programa.

O programa foi testado em Florianópolis, Balneário Camboriú, Camboriú, Laguna e São Bento do Sul. “Já estivemos também realizando uma oficina para uma comunidade quilombola em Mariana/MG, em Itacaré/BA, no Instituto Marola em Ilhéus/BA e, em parceria com a Universidade do Estado do Rio Grande do Sul, foi realizada uma oficina em Erechim/RS, e em agosto deste ano foi realizada a primeira ação nacional com metodologia Esag Kids envolvendo simultaneamente cidades em 6 estados diferentes, com ação transmitida ao vivo pela internet” acrescenta.

Meio ambiente

A educação ambiental é parte fundamental no desenvolvimento da metodologia de inovação e empreendedorismo. Em algumas ações, as crianças levam para casa mudinhas de plantas, normalmente alface ou couve. Tratar a questão de sustentabilidade de forma integrada ao desenvolvimento da oficina é a maneira EsagKids de apresentar às crianças que o meio ambiente é parte integrante de todas as ações do empreendedor que visa à inovação. “A mensagem que fica é que não podemos nos esquecer nunca de que a natureza, com sua rica flora e fauna, pois são aspectos fundamentais para a qualidade de vida dos cidadãos.

O EsagKids é parceiro do Laboratório de Educação  para Sustentabilidade, criado e administrado por estudantes e pesquisadores da Pós-Graduação da ESAG, sob coordenação da Professora Dra. Graziella Dias Alpertedst, pesquisadora do CNPQ.

Histórico

Iniciada em meados de 2014, a proposta recebeu apoio da FAPESC em seu Edital Universal, para aprimoramento e execução do plano e impressão da primeira edição do Manual do Empreendedor Mirim. Em outubro de 2015 a metodologia foi aplicada pela primeira vez junto a crianças do ensino fundamental. O Edital PAEX 2016 de extensão universitária e o SEBRAE/SC também apoiaram o ESAGKids, cujo criador saberá em que colocação ficou no dia 6 de novembro, na entrega do Prêmio Stemmer.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC

Entrega do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense acontece na segunda-feira

O governador Raimundo Colombo fará a entrega do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense 2017 na próxima segunda-feira, 6 de novembro, a partir das 14h30, durante o Encontro FINEP para Inovação. A cerimônia acontecerá no Centro de Eventos FIESC e terá as presenças do ministro Gilberto Kassab (MCTIC) e do presidente da FINEP, Marcos Cintra. O Encontro FINEP marcará a instalação, em Florianópolis, do Departamento Regional Sul da Financiadora de Estudos e Projetos para atendimento aos três estados do Sul do Brasil.

Na solenidade, serão anunciados os vencedores do Prêmio Stemmer, promovido pelo Governo do Estado por meio da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina). Os nomes das empresas, instituições ou protagonistas da inovação classificadas podem ser vistos neste link.  A ordem de classificação será divulgada apenas na cerimônia de entrega do Prêmio.

Cada categoria terá três premiados, sendo que o primeiro colocado de cada uma receberá R$ 60 mil reais, os segundos colocados receberão R$ 30 mil cada, e a terceira colocação receberá R$ 15 mil. Os finalistas também recebem um troféu e certificado.

Conheça os finalistas

Entre os contemplados estão as empresas ATARde Florianópolis, criadora de uma pulseira para identificação e pagamento por aproximação, que associa pagamentos, identificação e comprovantes a um único dispositivo digital. A inovação promove a redução do uso de papel, plástico e metais, melhorando a segurança e confiabilidade do processo de pagamento e dificulta a sonegação fiscal, a lavagem de dinheiro e a ocultação de valores. Um aplicativo de controle de gastos, chamado ATAR pay, incentiva a educação financeira.

A GYTH Desenvolvimento de Sistemas Ltda. – EFICID-BYOND também concorre na mesma categoria (Empresa Inovadora de Micro e Pequeno Porte), com o Ecossistema IoT EFICID, que integra duas tecnologias que até então caminhavam em separado: a RFID (Identificação por Radiofrequência) e a IoT (Internet of Things, Internet das Coisas). A solução é um produto de baixo custo e capaz de colocar qualquer empresa/cliente no mundo dos objetos conectados à internet, sendo um avanço para a massificação da Internet das Coisas a pequenas e médias empresas. Ainda nesta categoria a Intradebook é outra finalista com uma plataforma global para internacionalização de empresas, disponível em português, espanhol e inglês, e que conta com módulos de habilitação, negociação, operação, busca de clientes e fornecedores e lista de prestadoras de serviços de comércio exterior e logística.

Na categoria Empresa Inovadora de Médio ou Grande Porte, uma das finalistas é a Bry Tecnologia, de Florianópolis, que criou o BRy KMS, um certificado digital com máxima segurança acessível e compatível de qualquer dispositivo, como celulares e tablets. A tecnologia dispensa o uso de smartcards ou tokens e funciona em nuvem.  A Ciser também concorre nesta categoria com a NanoTec, solução em revestimento superficial que alia inovação e tecnologia a partir de nano partículas cerâmicas suspensas em meio aquoso. O selante pode ser aplicado em superfícies metálicas, aumentando em até 20 vezes a resistência à corrosão.

Outra finalista na categoria é a EMBRACO, de Joinville, inscrita no Prêmio Stemmer com o Novo Compressor Fullmotion VESF, capaz de funcionar abaixo de mil rotações por minuto e que possui melhor desempenho acústico e protege o sistema de suspensão (molas) do stress excessivo (fadiga). A inovação também promove a otimização na aplicação (refrigeradores), com redução de até 5% no consumo energético em relação às aplicações da família Fullmotion, modelo anterior.

Instituições finalistas

Duas são as categorias do Prêmio Stemmer 2017 que premiam instituições de CTI e Inovadoras. Na primeira concorrem o Instituto Stela, o Labsolda, da Universidade Federal de Santa Catarina, e a UNISUL (Universidade do Sul de Santa Catarina). A Plataforma Intelligentia, do Instituto Stela, representa uma evolução do conceito de observatório de conhecimento. A inovação auxilia a resolução de problemas nas organizações, unindo componentes internos e externos para conectar e localizar pessoas, conteúdos e processos, permitindo também compreender as oportunidades e riscos.

Já a UNISUL chegou à final da premiação por promover o empreendedorismo no âmbito da AGETEC (Agência de Inovação e Empreendedorismo) no período de 2009 a 2015. A maturidade que adquiriu, e a necessidade permanente de avanços, tornaram necessárias a descompactação e a capilarização do movimento empreendedor, multiplicando os agentes de Inovação e Empreendedorismo na UNISUL, que articula ensino, pesquisa e extensão e dissemina a temática Inovação e Empreendedorismo em todos os níveis de formação. O Labsolda, por sua vez, concorre com três inovações, que podem ser conhecidas nesta matéria publicada no site da FAPESC.

Na Categoria Instituição Inovadora, o finalista é a EMBRAPA Suínos e Aves, que chegou à final com o abatedouro móvel, uma unidade itinerante com equipamentos para abate de animais domésticos em três modelos: suínos e ruminantes; aves; e pescado. Seu desenvolvimento está adequado às particularidades produtivas e a legislação sanitária e ambiental do Brasil.

Protagonistas da Inovação

O Prêmio Stemmer Inovação Catarinense 2017 também reconhece os esforços de pessoas físicas. Os premiados da 7ª edição serão: Alvaro Michelotti (Zen S.A. ), Eduardo Jara (UDESC) e Roberto Zagonel (Zagonel). A inovação criada por Alvaro Michelotti trata-se de uma polia de alternador para redução de vibrações e aumento da eficiência dos motores de combustão internaque pode ser conhecida em detalhes nesta reportagem da FAPESC, bem como o projeto de empreendedorismo para crianças desenvolvido pelo professor da UDESC Eduardo Jara.

A inovação inscrita por Roberto Zagonel foi a Torneira Prima Touch, que possui regulagem de temperatura pelo sistema Touch, dispensando que se encoste na torneira para esquentar/esfriar. O sistema Touch também possibilita melhor uso do produto por pessoas com algum tipo de limitação física, já que seu registro ¼ volta facilita o manuseio.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC

 

Instituto de Soldagem e Mecatrônica é finalista do Prêmio Stemmer

O LABSOLDA (Instituto de Soldagem e Mecatrônica) da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) se classificou na 7ª edição do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense, promovida pela FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina). Criada em 2008 pela Lei Catarinense de Inovação, a premiação leva o nome do ex-reitor da UFSC, Caspar Erich Stemmer, e visa reconhecer, com troféus, certificados e valores financeiros, ações inovadoras de instituições, empresas e pessoas consideradas “protagonistas da inovação”.

Uma das inovações-referência inscritas no Prêmio Stemmer é um sistema automatizado para soldagem de revestimento de componentes de caldeiras

Formado por pesquisadores do Departamento de Engenharia Mecânica, o LABSOLDA foi finalista na categoria Instituição de Ciência, Tecnologia e Inovação com 3 inovações. A primeira é um sistema automatizado para soldagem de revestimento de componentes de caldeiras e geometrias associadas. “O sistema teve seu desenvolvimento voltado ao enfrentamento do fenômeno de desgaste que ocorre no interior das caldeiras de usinas termelétricas. Neste contexto, a proteção dos componentes por meio da aplicação de uma liga metálica especial, via soldagem, é importante para que não ocorram perfurações ou rupturas, falhas que fatalmente impedem o funcionamento do sistema de geração de energia como um todo” explica o Engenheiro João Facco de Andrade,Gerente de Projetos no LABSOLDA (www.labsolda.ufsc.br).

Veja o vídeo aqui

A segunda inovação trata de técnicas avançadas para produção de vídeos em alta velocidade aplicados em análises de processos industriais e pesquisas científicas.“As técnicas envolvem a aplicação de conhecimentos avançados em ótica, eletrônica e informática para produzir, processar e analisar imagens sincronizadas com dados quantitativos em uma frequência de até 20.000 quadros por segundo. Além disso, é empregado um sistema de iluminação laser infravermelho, invisível ao olho humano, mas ainda assim capaz de sensibilizar o sensor da câmera. Dessa forma, o cenário permanece iluminado apenas pelo sistema laser, independente das condições de luz ambiente. A técnica está sendo aplicada na análise técnico-científica de fenômenos extremos que ocorrem muito rapidamente, em escala reduzida e com grande variação na intensidade luminosa como no caso dos processos soldagem”,  disse Marcelo Pompermaier Okuyama, Mestre em Engenharia de Produção – Produtor Multimídia no LABSOLDA.

Veja o vídeo aqui

E a terceira inovação consiste em um sistema para soldagem automatizada TIG Orbital de tubos de pequeno diâmetro. “É capaz de realizar o processo de união em tubos de paredes finas, com controle eletrônico computadorizado. O equipamento pode ser aplicado em diferentes segmentos da indústria, por exemplo: química, petróleo e gás, alimentos, assim como para a construção de equipamentos e estruturas variadas. Os principais benefícios para o setor são o grande aumento da produtividade e qualidade das juntas executadas automaticamente. O controle eletrônico por software permite total possibilidade de customização, além de possibilidades de registro e tratamento eletrônico dos dados de cada soldagem, tornando o sistema apto para integração com ferramentas de Indústria 4.0 aplicadas para melhoria da produtividade e qualidade”, nas palavras do Professor Régis Henrique Gonçalves e Silva, Supervisor Geral e Diretor de P&D no LABSOLDA.

Veja o vídeo aqui

Suspense

A FAPESC divulgou os finalistas das 4 categorias do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense 2017 (relativa à Chamada Pública 1/2017), disponível neste link, mas os primeiros colocados serão anunciados numa cerimônia prevista para o dia 6 de novembro.

Os classificados estão listados por ordem alfabética, sem indicação de colocação no Prêmio.

Categoria Empresa Inovadora de Micro e Pequeno porte:

ATAR

EFICID

INTRADEBOOK

Categoria Empresa Inovadora de Médio ou Grande porte:

BRY

CISER

EMBRACO

Categoria Instituição de CTI:

EMBRAPA SUINOS E AVES

INSTITUTO STELLA

UFSC/LABSOLDA

Categoria Protagonista da Inovação:

ALVARO MICHELOTTI

EDUARDO J. JARA

ROBERTO ZAGONEL

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC

FAPESC premia criador de tecnologia para setor automotivo

O engenheiro Alvaro Canto Michelotti foi um dos finalistas da 7ª edição do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense, promovida pela FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina). Sua classificação – entre os 3 primeiros colocados – será anunciada no dia 6 de novembro, numa cerimônia marcada para as 14h30 na FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina).

Michelotti foi escolhido por ter criado uma polia capaz de reduzir o nível de vibrações do sistema da correia de acessórios do motor, conhecida no mercado automotivo como “polia OAD” (sigla em inglês que significa Overrunning Alternator Decoupler). “Trata-se de uma tecnologia adotada em modernos alternadores de veículos automotores”, explica o engenheiro-chefe de P&D Desenvolvimento do Produto da ZEN S.A. Indústria Metalúrgica, de Brusque.“A polia OAD contribui na estratégia das montadoras de veículos para reduzir problemas relacionados com ruído, vibração e aspereza, ou seja, tudo aquilo que gera desconforto acústico nos ocupantes do veículo.” O novo conceito de polia OAD desenvolvida por Michelotti já possui patentes concedidas no Brasil, EUA e Europa, e pedidos depositados na China, India, no Japão, México e Canadá.

Quadro da patente obtida nos EUA referente à invenção da polia OAD.

Por meio do CNPq (edital RHAE), Michelotti obteve recursos para o pagamento de bolsas de pesquisa a dois mestres em Engenharia Mecânica, ambos envolvidos no projeto da polia OAD. Ela foi homologada em 2017, pelo maior fabricante de alternadores do mercado de reposição norte-americano. “Esse modelo de polia OAD possui enorme potencial para ser vendido diretamente para as montadoras (o chamado mercado OEM), e exportado para diversas partes do mundo”, anuncia.

Como chegou lá

Michelotti é doutor em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica com ênfase em Projeto de Sistemas Mecânicos. Especialista de Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos na empresa ZEN S.A. Indústria Metalúrgica. Possui experiência em Projeto de Sistemas Mecânicos, Inovação, Modelagem e simulação dinâmica 1-D e certificação Black BeltSix Sigma. Formado em Engenharia Meânica, desde 1997, trabalha em projetos para desenvolvimento e validação de componentes e sistemas para a indústria automotiva. Também atua, desde 2017, como professor do curso de graduação em Engenharia Mecânica no Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE).

 

Baseado na tese de doutorado aprovada em 2016, o engenheiro obteve outra patente de invenção, por meio do INPI, na área de sistemas de partida para motores de combustão interna, além de artigos publicados e premiados no Congresso SAE Brasil, COBEM e, um dos mais importantes eventos nacionais do setor automotivo. Passou a liderar uma equipe na empresa ZEN S.A., em Brusque, alavancando a pesquisa e inovação nos produtos e processos que a empresa vem desenvolvendo e ofertando ao mercado brasileiro e mundial.

Caspar Erich Stemmer

Criada em 2008 pela Lei Catarinense de Inovação, a premiação leva o nome do ex-reitor da UFSC, Caspar Erich Stemmer, e visa reconhecer, com troféus, certificados e valores financeiros, ações inovadoras de instituições, empresas e pessoas consideradas “protagonistas da inovação”. Até o momento, foram premiados 60 pesquisadores (protagonistas da inovação), empresas e instituições, com valores que ultrapassam R$1,38 milhão.

 

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC

Prazo para se candidatar ao Prêmio Stemmer termina em menos de um mês

A 7ª edição do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense está com inscrições abertas até 15 de maio. Lançada pela FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina), a premiação irá reconhecer esforços de instituições, empresas inovadoras e protagonistas da inovação, oferecendo um total de R$ 525 mil aos finalistas.

O Prêmio Stemmer 2017 terá cinco categorias, o que não ocorria desde a edição de 2012. Os candidatos poderão se inscrever nas seguintes categorias: Protagonista da Inovação (pessoa física), Instituição Inovadora, Instituição de CTI, Empresa inovadora de micro ou pequeno porte (com faturamento de até R$ 3,6 milhões, ano-base 2015) e Empresa inovadora de médio ou grande porte (faturamento superior a R$ 3,6 milhões).

Cada categoria terá três premiados, sendo que o primeiro colocado de cada uma receberá R$ 60 mil reais, os segundos colocados receberão R$ 30 mil cada, e a terceira colocação receberá R$ 15 mil. Os finalistas também recebem um troféu e certificado.

“O Prêmio Stemmer já faz parte do calendário das premiações de Santa Catarina voltadas à inovação e à pesquisa, e tem trazido ótimos resultados, pois além de premiar, estimula processos inovadores que geram diferenças no nosso dia a dia, principalmente no setor produtivo”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Carlos Chiodini, no lançamento do edital. As inovações inscritas no Prêmio Stemmer podem ser dos mais variados tipos: produto, insumo ou maquinário, processo, organizacional, mercado e método.

Em todas as categorias o principal critério de elegibilidade é a qualificação da inovação referência quanto aos conhecimentos científico e tecnológico e aos impactos social, econômico e ambiental.

A candidatura deverá ser feita na Plataforma FAPESC. O edital do Prêmio Stemmer está disponível neste link. A divulgação dos finalistas deverá ocorrer no final de setembro, com cerimônia de entrega da premiação em outubro.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC

 

FAPESC abre novo edital do Prêmio Stemmer de Inovação

A 7ª edição do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense está com inscrições abertas até 15 de maio. Lançada pela FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina), a premiação irá reconhecer esforços de instituições, empresas inovadoras e protagonistas da inovação, oferecendo um total de R$ 525 mil aos finalistas.

O Prêmio Stemmer 2017 terá cinco categorias, o que não ocorria desde a edição de 2012. Os candidatos poderão se inscrever nas seguintes categorias: Protagonista da Inovação (pessoa física), Instituição Inovadora, Instituição de CTI, Empresa inovadora de micro ou pequeno porte (com faturamento de até R$ 3,6 milhões, ano-base 2015) e Empresa inovadora de médio ou grande porte (faturamento superior a R$ 3,6 milhões). Cada categoria terá três premiados, sendo que o primeiro colocado de cada uma receberá R$ 60 mil reais, os segundos colocados receberão R$ 30 mil cada, e a terceira colocação receberá R$ 15 mil. Os finalistas também recebem um troféu e certificado.

“O Prêmio Stemmer já faz parte do calendário das premiações de Santa Catarina voltadas à inovação e à pesquisa, e tem trazido ótimos resultados, pois além de premiar, estimula processos inovadores que geram diferenças no nosso dia a dia, principalmente no setor produtivo”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Carlos Chiodini, no lançamento do edital. As inovações inscritas no Prêmio Stemmer podem ser dos mais variados tipos: produto, insumo ou maquinário, processo, organizacional, mercado e método. Em todas as categorias o principal critério de elegibilidade é a qualificação da inovação referência quanto aos conhecimentos científico e tecnológico e aos impactos social, econômico e ambiental.

A candidatura deverá ser feita na Plataforma FAPESC. O edital do Prêmio Stemmer está disponível neste link. A divulgação dos finalistas deverá ocorrer no final de setembro, com cerimônia de entrega da premiação em outubro.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC

Governo estadual premiará inovação em SC com meio milhão

sétima edição do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense foi lançada nesta quarta-feira (21/12/2016) pelo presidente da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina), Sergio Gargioni.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, prestigiou o evento – realizado na empresa Dígitro, no auditório inaugurado também ontem, com o nome do Prof. Caspar Erich Stemmer –, tendo vindo a Florianópolis pela quarta vez desde que tomou posse, neste ano. Também conheceu as instalações do LabElectron, da Fundação CERTI, na companhia de Alvaro Prata e Maximiliano Martinhão, ambos secretários do MCTIC.

O edital de chamada pública para se candidatar à premiação será anunciado posteriormente, e deve ser aberto a partir de 15/01/2017. Ele deve disponibilizar certificados, troféus e um total de R$525 mil para as diversas categorias, visando o reconhecimento de esforços de pessoas, empresas e instituições inovadoras no estado. “o edital deve apresentar um conceito mais amplo de inovação, até para estimular, por exemplo, novos métodos e tecnologias em áreas como o ensino”, disse Gilberto Montibeller Filho, coordenador de projetos da FAPESC.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC

Resultados das edições anteriores do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense em http://www.premiostemmer.sc.gov.br/?page_id=29

trofeu-stemmer

 

FAPESC divulga finalistas da edição 2015 do Prêmio Stemmer

A FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina) divulgou os seis finalistas do Prêmio Stemmer de Inovação Catarinense 2015. Os selecionados estão divididos em duas categorias: Protagonista da Inovação e Empresa inovadora de micro ou pequeno porte.

A ordem de classificação será divulgada apenas na cerimônia de entrega do prêmio, em data ainda não definida. Em cada categoria, o primeiro colocado receberá R$ 60 mil, o segundo R$ 30 mil, e R$ 15 mil o terceiro. O documento com os finalistas pode ser acessado neste link.

Na categoria Protagonista da inovação, os finalistas são:

Dennis Boing, da Fundação Educacional de Brusque, que apresentou a criação do Centro de Tecnologia e Inovação em Fabricação.

O modelo de funcionamento envolve acadêmicos, professores e equipes de engenharia das empresas. O Centro possui uma grande linha de trabalho em processos de fabricação em usinagem de materiais endurecidos, os quais são prioritariamente direcionados para o corte a seco e a técnica de aplicação de mínimas quantidades de lubrificantes (MQL), as quais utilizam em torno de 10ml/h de fluído lubrificante para o processo.

Genesis Duarte de Oliveira Silva e equipe, Whirlpool S.A. – Unidade EMBRACO – Compressores, com a Tecnologia Wisemotionprimeiro compressor hermético sem óleo para aplicações de refrigeração residenciais do mundo. O produto foi lançado em 2014 e as principais áreas de conhecimento envolvidas na inovação são: Conceitos em Compressores Lineares, Eletrônica, Mecânica, Dinâmica de fluidos, Acústica, Vibração e Termodinâmica.

Wanessa Rejane Knop Weihermann, da UDESC, apresentou como projeto inovador Materiais Poliméricos com Capacidade de Autocicatrização, que são uma alternativa para a geração de materiais poliméricos mais duráveis e confiáveis, evitando falhas durante o seu uso em aplicações de engenharia. Geralmente, estes materiais são submetidos durante sua vida útil à fadiga mecânica e/ou térmica, exposição à radiação ultravioleta, exposição a substâncias químicas ou à combinação destes fatores podendo assim levar a formação de microtrincas. Essas microtrincas são de difícil visualização e reparação e podem propagar-se ao longo do material levando a sua falha prematura, além disso, os métodos convencionais de reparo não se mostram eficientes.

Na categoria Empresa inovadora de micro ou pequeno porte os finalistas são:

Chipus Microeletrônica, que apresentou como inovação o Sensor Magnético Integrado. O sensor é utilizado na medição de corrente elétrica, medição de posição angular e linear, medição de rotação, detecção de campo magnético terrestre. É o primeiro circuito a integrar monoliticamente em um único chip um sensor de tunelamento magnético e os circuitos de processamento e condicionamento de sinais. Em termos ambientais, com a eliminação dos amplificadores de sinal, o chip requer menos potência para operar e, portanto, contribui também para uso mais eficiente de energia.

EcoTextil Industria e Comércio de Maquinas apresentou o desfiador de tecidos para  micro e pequenas confecções.O equipamento prioriza a redução do impacto ambiental de um setor econômico (Micro e Pequenas confecções);o diferencial desta ideia é a visão de ganho de desempenho financeiro na utilização do equipamento, a partir da aplicação de uma ferramenta da área ambiental chamada Produção mais Limpa que preza a reutilização de resíduos.

PNP Soluções em Bioengenharia LTDA-ME é finalista no Prêmio Stemmer com o InCardio – ECG Veterinário. A telemedicina, presente na inovação, permitiu que clínicas veterinárias do interior tivessem acesso ao serviço de cardiologia veterinária a distância, o que é um problema recorrente, a falta de profissionais especializados longe dos maiores centros. Outro impacto econômico para Santa Catarina está na cadeia de fornecedores, dado que a empresa privilegia fornecedores do estado. Tem-se, também, a diminuição no uso de papel, uma vez que os laudos são sempre gerados por meio eletrônico.

Fonte: FAPESC